Cabras montanhesas: Um amor, uma admiração, um estilo de vida.

Cabras montanhesas têm sido um pensamento recorrente na minha vida. Parece que todos os meus neurônios, em suas complexas conexões teísticas e emaranhadas, sempre encontram, de alguma forma química-psicologica ainda não exatamente mapeada, uma maneira inusitada de relacionar qualquer assunto à esses animais de adoráveis chifres em forma de concha e pêlos felpudinhos esbranquiçados.

Há 4 anos atrás, tive que participar de uma palestra motivacional em um pensionato de freiras (vivendo radicalmente, pois é). Todo mundo tinha que dizer que animal queria ser e porque. Eu disse que queria ser uma alpaca porque elas eram simpáticas e quentinhas. Não confundam lhamas com alpacas. Lhamas cospem na sua cara enquanto alpacas sorriem. No mais, sou o tipo de pessoa que valoriza o quentinho. Naquela época, eu não conhecia as cabras montanhesas. Hoje sei como elas deveriam ser as rainhas da fauna e as alpacas as princesas.

Alpacas e cabras vivem bem em ambientes montanhosos -As cabras montanhesas em ambientes mais montanhosos-. Elas se equilibram em 3 patas. Elas podem ser domesticadas. Elas podem atacar com cabeçadas. Elas chegam em qualquer lugar. Acho até que seria uma boa se usassem cabras montanhesas para serviço em corpo de bombeiros, assim como os Pastores Alemães são usados pelo exército e polícia, e os São Bernardos para salvamentos.

E você -sim, você ai mesmo, leitor- que para mim é como o inverno, não exatamente ele, mas sim como o último centímetro cúbico de uma flor rodeada por grama no topo de uma montanha antes que a geada chegue, antes que os ursos hibernem, que as aves voem todas para o sul e que toda rara vegetação vire um mundo de neve. Você que é essa coisa rara, especial, escolhida pela trolagem do acaso para estar sozinho ai no topo, delicado mas inatingível…

Eu só chegaria até você se eu fosse uma cabra montanhesa.

Edition of 1000 Printed:

Escritores, roteiristas, artistas… que a gente consiga um dia essa mutação pela nossa arte. Trololololo.

Autor: Dindi Coelho

No mistakes just pancakes

Uma consideração sobre “Cabras montanhesas: Um amor, uma admiração, um estilo de vida.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s